Lua Cheia se foi, e com ela meu amor…

A Lua sempre foi o marcador de tempo natural das mudanças periódicas que ocorriam em todos os reinos, era ela também que assinalava todas as etapas e padrões do eterno ciclo da vida e da morte.  Sua misteriosa luz prateada apontava o momento certo para o plantio, para a colheita, para o acasalamento e para as mudanças climáticas. Os antigos gregos a representavam como um cálice vazio que enchia-se e esvaziava-se lentamente, representando as alterações cíclicas das emoções, reações e necessidades humanas.

Este astro que ilumina a noite e é o símbolo do princípio feminino, representando potencialidades, estados de alma, valores do inconsciente, humores e emoções, receptividade e fertilidade, mutação e transmutação. E, as fases da Lua, caracterizam os aspectos da natureza feminina, assim como representam os estágios e as transformações na vida da mulher.

A cada 28 dias a Lua completa seu ciclo de crescente a minguante. A Lua Nova marca a primeira iluminação e um fiapo fica visível no céu noturno. A Lua então cresce até o primeiro quarto, quando se pode visualizar a metade de seu disco. Continua a crescer e completa-se até atingir a Lua Cheia. Neste ponto, começa a diminuir de tamanho até o terceiro quarto, quando novamente só se vê a metade do disco e continua assim até que não se veja mais seu disco. Em quinta fase, esta Lua Escura dura três noites e esta, é este é o mais poderoso de todos os ciclos da Lua.

Alguns índios norte-americanos consideravam a Lua “uma mulher”, no seu quarto minguante ela ficava “doente”, palavra que definiam como menstruação. Camponeses europeus acreditavam que a Lua menstruava e que estava “adoentada” no período minguante, sendo que a chuva vermelha que o folclore afirma cair do céu era o “sangue da Lua”.

Em várias línguas as palavras menstruação e Lua são as mesmas ou estão associadas. A palavra menstruação significa “mudança da Lua” e “mens” é Lua.

A Lua Cheia que nos deixa hoje, nos conecta com a terra, nos coloca em contato com os valores terrenos, é o próprio amor realizado. É a Lua Grávida de criatividade, de riqueza e da realização do próprio crescimento.

A mulher-lua-cheia é a esposa e mãe perfeita, desfaz-se em eficiência e cuidados. Esta é a fase lunar que é iluminada pelo Sol em sua totalidade, indicando mais clareza de consciência e um melhor relacionamento entre masculino e feminino, o que propicia a criação.

E é com grande aperto no coração que deixo mais uma vez aos cuidados da mamãe lua meu grande amor. Lua cheia de alegria, Lua cheia de muito amor, cheia de diversão e milhares de sorrisos inacabáveis.

Carol Mendes

Anúncios